O que é Legal Design

Saiba mais sobre a metologia que está cada vez mais presente nos processos jurídicos

Baseado nos princípios descritos por Margaret Hagan em seu livro Design Law, o Legal Design é um método de simplificação na forma como o direito é executado.

Para isso, é feita a aplicação da metodologia do Design Thinking no universo jurídico e vai mundo além de usar elementos visuais ou linguagem mais acessível em contratos.

O Design Thinking é uma metologia usada em diversas áreas do conhecimento que visa transformar processos antes burocráticos em algo que seja, além de eficiente, pensando para otimizar a experiência do usuário.

O Legal Design foi estruturado sobre três princípios básicos. São eles:

  • Design: para desenvolver produtos que as pessoas queiram usar
  • Lei: para promover a justiça e trazer a lei ao alcance de todos
  • Tecnologia: para otimizar as ações humanas

 

Sempre baseado em dados e testado constantemente para provar sua eficácia e encontrar novas formas de melhorias ao que se propõe. Devido à complexidade do tema, várias Universidades já oferecem cursos de aperfeiçoamento da área, como a brasileira Getúlio Vargas.

O Design Thinking prioriza a interação do indivíduo com determinado produto ou serviço, e quão satisfatório se torna este contato.

Pensando nisso, o Legal Design integra essas técnicas na forma como o direito é executado e principalmente como ele interage com a sociedade.

Legal Design: foco na experiência do cliente

Um dos princípios básicos do Legal Design é tornar os processos jurídicos menos burocráticos e mais acessíveis à população em termos de entendimento.

Para isso são usadas combinações de elementos textuais e visuais que tornam documentos como contratos e petições mais entendíveis.

Este é apenas um exemplo de como a metodologia é aplicada na prática no dia-a-dia do advogado, mas, como vimos anteriormente, o Design Thinking começa bem antes de sua execução.

A pesquisa e definição de qual estratégia usar nos processos jurídicos é a parte mais importante de uma boa utilização do método.

Com ele, você pode tornar seus contratos mais Interativos e fáceis de ler apenas com a simplificação da redação contratual.

Os principais objetivos da aplicação do Legal Design são:

  • Transmite informação de um jeito mais fácil de entender 
  • Melhora a abordagem da oferta de produtos e as relações com os clientes
  • Transforma ideias em novos produtos e/ou serviços
  • Constrói cultura de inovação na empresa

 

Um bom exemplo é a instituição financeira Nubank que usa um texto acessível e resumido para informar seus clientes sobre alterações de cláusulas em seus Termos e Condições de Uso.

O usuário é surpreendido com um pop-up assim que abre o aplicativo do banco e tudo o que ele precisa saber é apresentado de forma resumida, com links para que ele acesse o documento completo caso queira.

Essas pequenas alterações é que tornam o direito mais fluído e mais entendível para as pessoas que não são do meio jurídico.

Tecnologia e Legal Design

Uma grande aliada do Legal Design é a tecnologia, isso porque ela possui infinitos recursos para otimizar os processos - desde os mais simples até os mais complexos.

Quando bem utilizada, permite a completa transformação de uma proposta de prestação de serviços formal em uma apresentação em slides ou mesmo em uma página na internet.

Isso também permite a criação de links que direcionam o usuário para informações complementares, como um perfil de publicações do JusBrasil, um blog ou até mesmo ao processo do cliente online.

Um contrato pode ser resumido em pequeno e-book com links para baixar o documento completo em pdf no computador do próprio usuário, dispensando a necessidade de presença física ou impressão de papéis.

A tecnologia definitivamente viabiliza a entrega de qualquer informação ao cliente de uma forma mais simples e rápida.

Design Gráfico e Visual Law

Dentro do Legal Design se fala muito em Visual Law, que é uma forma de apresentar informações utilizando recursos como ilustrações, gráficos e fotografias, por exemplo.

Saber como se comunicar visualmente é essencial para a boa aplicação da metodologia já que o design gráfico tem um forte desempenho em tornar contextos jurídicos mais entendíveis ao indivíduo que não atua no setor.

Design é sobre usabilidade, por isso o Visual Law não é somente sobre figuras, mas também sobre a forma como as informações são distribuídas em uma página.

A lógica e o contexto em que estão inseridas, tudo tem que ser pensado para tornar a experiência do leitor mais agradável e entendível.

Artigos Relacionados