Como definir preços para serviços advocatícios Lexly Academy

Como definir preços para serviços advocatícios?

Estipular preços para serviços advocatícios pode ser uma tarefa difícil. Mesmo com a existência de uma tabela de referência estipulada pela OAB de cada Estado, ainda assim, existem diversos fatores que podem influenciar no valor que você cobra pelo seu trabalho.

Como sabemos, um advogado que trabalha como autônomo ou mesmo aquele que tenha sociedade ou um escritório de advocacia completo, não é considerado empresário de acordo com com o Artigo 966 do Código Civil que trata sobre Direito de Empresa. “Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços”. 

Parágrafo único. Não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.

Serviços advocatícios, por serem de origem intelectual não podem ser comercializados, como define o Estatuto da OAB, no artigo 16º que veda a mercantilização da atividade dos profissionais:

Não são admitidas a registro nem podem funcionar todas as espécies de sociedades de advogados que apresentem forma ou características de sociedade empresária, que adotem denominação de fantasia, que realizem atividades estranhas à advocacia, que incluam como sócio ou titular de sociedade unipessoal de advocacia pessoa não inscrita como advogado ou totalmente proibida de advogar”.

 

Use técnicas do marketing para obter mais lucros

Pois então como definir uma estratégia de precificação justa que me trata retornos financeiros e que seja competitivo no mercado, mesmo não sendo de fato uma empresa?

A resposta é simples: use o marketing! Sim, na maior parte das empresas, quem define o preço que os produtos irão custar é o departamento de marketing. Isso porque são levados em consideração fatores como:

  • Custo por hora de trabalho
  • Oferta e demanda
  • Valor que o seu produto ou serviço gera para o cliente
  • Público-alvo
  • Situação do mercado em que você atua

 

Mais adiante, você entenderá melhor cada um desses pontos e aprenderá a exercer um preço justo e competitivo, que gere valor para o seu negócio e te ajude a obter mais lucros, sempre respeitando o código de ética da profissão.

 

Precificação de serviços advocatícios: Lucro X Ética

Como vimos, ao contratar os serviços de um advogado, o cliente adquire uma consultoria de caráter intelectual e não um produto. O próprio código de ética da OAB veta a mercantilização como promoções ou divulgação deliberada de preços. 

Até mesmo o marketing precisa ser feito especificamente para a área jurídica. 

Se você ainda não conhece nosso e-book sobre Marketing Jurídico, baixe agora mesmo e aprenda a aplicar as estratégias da maneira correta no seu trabalho

Mesmo perante as particularidades da profissão, é possível estipular um valor justo pelo seu trabalho como advogado e ainda obter lucros relevantes com isso. Afinal, em qualquer área de atuação, estratégias de crescimento profissional são naturalmente incorporadas ao longo do tempo.

 

Como calcular o preço de serviços advocatícios

Para determinar um preço por cada serviço prestado você pode usar as estratégias de precificação abaixo. Elas servirão como um guia para que você tenha mais clareza se o valor que tem cobrado dos seus clientes corresponde ao cenário que está inserido. 

Mais do que isso: te ajudará a entender como a precificação é realizada e como criar estratégias para aumentar seu valor de mercado e consequentemente os seus lucros.

 

Estratégia de Precificação: o marketing como aliado

Departamentos de marketing ao redor do mundo usam os seguintes pontos para determinar o valor de um produto ou serviço no mercado:

 

1. Custo da hora trabalhada

A primeira coisa que você precisa pensar ao desenvolver uma estratégia de preço para seus serviços é o seu objetivo financeiro: quanto você quer receber mensalmente? 

Comece calculando quanto tempo você gasta para realizar cada tarefa. Pode ser que ao final dessa conta você perceba que sua hora trabalhada está com valor muito baixo.

Em se tratando de serviços advocatícios, sabemos que algumas atividades demandam mais tempo do que outras, por isso, será necessário calcular separadamente cada uma delas. Isso pode levar algum tempo, mas será muito importante ter este dado em mãos para prosseguir com sua estratégia de precificação.

 

2. Oferta e Demanda

A segunda coisa necessária para cobrar corretamente pelos seus serviços é entender se existe demanda para cada tipo de trabalho. Quanto maior a demanda, mais você poderá elevar o valor. 

Em contraponto, se houver uma oferta muito grande do mesmo tipo de serviço que você presta na região, é preciso equilibrar os preços com seus concorrentes para permanecer competitivo.

 

3. Geração de Valor

A terceira coisa que irá influenciar fortemente da definição dos preços é o valor que eles agregam a quem os contrata.

Para isso, você precisa levar em consideração sua formação acadêmica e sua experiência profissional, bem como toda a estrutura que você oferece aos seus clientes do começo ao fim da prestação de serviços, como a qualidade do atendimento, agilidade de processos, sistemas automatizados, entre outras ferramentas que proporcionam uma melhor experiência a eles. 

Seu escritório tem canais de comunicação de fácil acesso? Como Whatsapp Business, email corporativo ou um chat? Você usa redes sociais para oferecer conteúdo de valor ao seus clientes? Seu escritório (ou sua atividade autônoma) possui um website interessante? Como é a sua reputação no mercado? Você é reconhecido em questões como qualidade e profissionalismo? Ou você ainda está começando e atende apenas amigos e familiares?

Responda essas perguntas para entender como você se posiciona entre os concorrentes e, o mais importante, como é visto pelo seu público.

Isso te ajudará não apenas a praticar um valor mais justo, mas também a encontrar pontos fortes e fracos para trabalhar em estratégias de melhoria que, futuramente, poderão incorporar mais valor ao seu trabalho e, consequentemente, gerar mais lucros.

 

4. Público-alvo

Sim, você precisa saber a quem o seu serviço se destina. Se você atua mais em causas empresariais ou tributárias, seus clientes provavelmente têm um maior poder aquisitivo. Agora se sua especialidade é mais voltada para pequenas causas, por exemplo, é possível que você tenha que massificar algumas atividades do dia-a-dia e não consiga atender todos de maneira personalizada. Você pode ter uma demanda de trabalho mais alta, mas terá que cobrar um valor mais acessível para atender o seu público-alvo.

 

5. Situação de mercado

Hora de avaliar seus concorrentes e o cenário político-econômico atual. Fatores externos influenciam muito no momento de estipular valores, independentemente do tipo de produto ou serviço oferecido. 

A concorrência determina uma média de preços cobrados, procure analisar advogados ou escritórios que ofereçam serviços semelhantes para o mesmo público-alvo que o seu.

Acontecimentos atípicos (acidentes, falências de grandes corporações, escândalos, alto volume de migrações, guerras, etc.), inflação, alta do dólar, crises políticas, todas essas condições afetam diretamente o mercado de trabalho e o sistema social de uma maneira menos ou mais agressiva, por isso é preciso ficar atento a essas condições e fazer o possível para que sua precificação acompanhe de maneira coerente as consequências que surgirem. Muitas vezes essas “janelas” se tornam grandes oportunidades de negócio.

 

Tabela da OAB

O Brasil possui o órgão regulador das atividades advocatícias, a OAB. A organização desenvolveu uma tabela de valores praticados que varia de estado para estado.

É sempre necessário checar de tempos em tempos essas informações para se manter atualizado e verificar se o seu preço está equilibrado com o mercado.

Como vimos, outros fatores podem interferir na forma como você cobra pelos seus serviços e a tabela da OAB é apenas uma referência, não havendo obrigação de a seguir a risca.

Entretanto, para alguns tipos de trabalho, principalmente aqueles que não exigem tanta desenvoltura intelectual por parte do advogado, que a cobrança seja aproximada ao que o órgão sugere, de acordo com sua região de atuação.

Artigos Relacionados